O Fronteiras do Pensamento é concebido em 2006, na cidade de Porto Alegre, com o objetivo de oferecer uma ampla compreensão das mudanças sociais, econômicas, culturais e políticas do período. Já em 2007, na primeira temporada, convida mais de 40 renomados intelectuais para realizar conferências no decorrer do ano. Nomes como Christopher Hitchens, Jorge Castañeda, Luc Ferry e Michel Maffesoli subiram ao palco do Salão de Atos da UFRGS e renderam projeção nacional ao projeto.

Em 2008, a capital gaúcha recebeu 25 conferencistas. Dentre eles, Edgar Morin, David Lynch, Philip Glass e Wim Wenders. No mesmo ano, o Fronteiras estendeu seu formato presencial a Salvador. 2009 foi o ano de Eric Maskin, Howard Gardner, Steven Pinker e outros. Dos dez conferencistas da edição de 2010, destacam-se Carlo Ginzburg, Daniel Dennett, Daniel Cohn-Bendit e Mario Vargas Llosa, que veio ao Fronteiras poucos dias após ter recebido o Nobel de Literatura.

O sucesso da iniciativa, pioneira no país, garante não apenas sua permanência, mas também sua expansão. Em 2011, as temporadas passaram a ocorrer, também, em São Paulo. A série especial seguiu acontecendo em Salvador e chegou a Florianópolis. 2011 também marca o retorno de Morin e Ferry ao projeto, além da presença de Fredric Jameson, Garry Kasparov, Mohsen Makhmalbaf e Shirin Ebadi.

Em 2012, o Fronteiras recebeu o Nobel da Paz Mohamed ElBaradei e o Nobel de Economia Amartya Sen. Ainda, Mia Couto, Simon Blackburn, dentre outros nomes como Vandana Shiva. Em 2013, sob a temática "Ideias fazem diferença", o projeto trouxe ao Brasil 24 convidados. Dentre eles, o neurocientista português António Damásio, o Prêmio Nobel da Paz José Ramos-Horta e o sociólogo espanhol Manuel Castells.

Em 2014, o Fronteiras levou aos seus palcos escritores, filósofos e físicos sob o conceito "A reinvenção do mundo". Era a vez do público ouvir as ideias de Michael Sandel, Salman Rushdie, Brian Green, Pascal Bruckner e outros. Para as oito conferências de 2015, com o tema "Como viver juntos", o Fronteiras trouxe ao país Richard Dawkins, Jimmy Wales, Fernando Savater, John Gray, Saskia Sassen e Richard Sennett.

Em 2016, o Fronteiras do Pensamento busca os novos caminhos de um mundo onde as migrações humanas explodiram e a ideia de fronteira é cada vez mais obsoleta. Neste cenário, o projeto propõe: quais são as nossas revoluções individuais e coletivas que podem promover a grande virada contemporânea?

Para debater o tema "A grande virada", Porto Alegre recebe Mario Vargas Llosa, Pierre Lévy, Michel Houellebecq, Elisabeth Roudinesco, Peter Sloterdijk, Ian McEwan, Henry Louis Gates Jr. e Jan Gehl. São Paulo confirma a presença de Mario Vargas Llosa, Mary Robinson, Francis Fukuyama, Valter Hugo Mãe, Elisabeth Roudinesco, Peter Sloterdijk, Ian McEwan e Jan Gehl. O Fronteiras segue presente nas capitais Salvador e Florianópolis, cujas conferências acontecem no segundo semestre do ano.