Voltar para Notícias

“O Gene Egoísta” é eleito o livro científico mais influente de todos os tempos

Richard Dawkins no Fronteiras do Pensamento 2015. Foto: Luiz Munhoz
Richard Dawkins no Fronteiras do Pensamento 2015. Foto: Luiz Munhoz

Considerado mais darwiniano que o próprio Charles Darwin, o biólogo evolucionista Richard Dawkins superou o grande cientista na disputa pelo título de livro mais influente de todos os tempos na área da ciência de acordo com o público. O gene egoísta, obra-prima de Dawkins, foi reconhecido em pesquisa pública promovida pela Royal Society. Em segundo lugar, ficou o norte-americano Bill Bryson com Breve História de quase tudo, seguido por Darwin, com A origem das espécies.

O livro O gene egoísta, publicado pela primeira vez em 1976, colocou Dawkins sob holofotes a nível internacional. Com uma linguagem informal, descomplicada e metafórica, o cientista britânico trouxe temáticas complexas da ciência ao conhecimento popular. Uma de suas analogias mais conhecidas é entre o gene, principal unidade de seleção no processo evolutivo, e o meme, fenômeno contemporâneo, que seria seu equivalente comportamental. Na mesma obra, Dawkins ficou conhecido também por se posicionar contrariamente ao pensamento religioso.

A Royal Society é uma associação que reúne muitos dos mais prestigiados cientistas de todo o mundo, e a mais antiga academia científica em atuação. Os participantes da pesquisa - exaltaram o livro de Dawkins como uma obra-prima e reconheceram o cientista como um ótimo comunicador, destacando o quanto o livro mudou suas perspectivas sobre o mundo e a ciência. A Royal Society Scientific Book Prize já acontece há 30 anos. Entre os premiados em outras edições, estão nomes como Stephen Hawking, Jared Diamond, Stephen Jay Gould e Bill Bryson.

Graduado em zoologia na Universidade de Oxford, onde também se formou mestre e doutor, Richard Dawkins desenvolveu sua pesquisa acadêmica sob orientação do Prêmio Nobel Nikolas Tinbergen. Criou, em 2006, a Fundação Richard Dawkins para a Razão e a Ciência, com o objetivo de financiar pesquisas e programas de educação científica. O reconhecimento de suas contribuições se deu tanto em Oxford como em universidades do mundo inteiro. Em 2007, foi eleito uma das cem pessoas mais influentes do mundo pela revista Time e figurou na lista do The Daily Telegraph com os cem maiores gênios vivos. Dawkins foi conferencista do Fronteiras do Pensamento em 2015.