Voltar para Notícias

Revista Fronteiras do Pensamento é encarte especial na ZH deste sábado

Jefferson Botega / Agencia RBS
Jefferson Botega / Agencia RBS

A Revista Fronteiras do Pensamento 2015 está encartada no jornal Zero Hora deste sábado (25). Na revista especial, intelectuais brasileiros abordam a temática desta temporada do Fronteiras, Como viver juntos, em artigos que discutem o pensamento e o trabalho de cada conferencista. A Revista Fronteiras do Pensamento ZH também apresenta dicas de sites e livros relacionados à temporada e um ensaio fotográfico do premiado Jefferson Botega sobre as sociedades das abelhas (foto), que, segundo a professora da Unisinos, Cybeli Moraes, "nos obrigam a pensar em nossa própria habilidade de cooperar – especialmente em tempos de discursos de ódio ou movimentos mais sutis, como diz Richard Sennett: de recuos diante dos outros, como se para nós não existissem."

Confira abaixo algumas das principais ideias que estão no encarte e clique na capa para ler a Revista Fronteiras do Pensamento na íntegra

"Somos todos, diz Dawkins, de bactérias a humanos, máquinas de sobrevivência de genes. Essa noção perturba, pois pensamos nos seres humanos como imagens de seres divinos, melhores que os demais seres do planeta. O topo da evolução." - Cristina Bonorino, Professora titular de Imunologia da PUCRS

"Em muitos dos encontros do Fronteiras do Pensamento a Ética e a Bioética estiveram presentes de forma direta ou indireta. Questionar a vida e o viver, as justificativas para ações adequadas, para buscar novos conhecimentos, para entender os limites do próprio conhecimento contemporâneo. Fronteira não é um lugar que divide, mas que delineia limites, que define culturas e identidades." - José Roberto Goldim, Doutor em Bioética

"Na transição entre dois milênios, a educação depara-se com questionamentos que, mesmo singulares, carregam o peso da nossa perplexidade diante dos acontecimentos. Os novos tempos de ensinar e aprender acompanham a dualidade entre educar para conhecer ou somente para informar, a realidade produzida como algo artificial, a abreviação da infância, a fragmentação da realidade, o descarte, o impulso no lugar do pensamento, e os jovens que, por falta de mecanismos de identificação parental, buscam em figuras descartáveis modelos para um futuro." - Valéria Carvalho de Leonço, Coordenadora do Ensino Fundamental e Médio, Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre

"Na recomposição do nosso fragilizado tecido social, avariado pelo egoísmo, pela desigualdade e pela violência, o autor [Richard Sennett] sugere que sejamos empáticos. Ele contrapõe esse estado de espírito às atitudes aparentemente solidárias, onde nos dirigimos ao outro que precisa de compreensão ou ajuda pensando 'sei perfeitamente como você se sente'. Isso é falso, podemos deixar que os outros nos envolvam e inquietem, mas nunca compreenderemos perfeitamente o que eles sentem ou pensam. Já a atitude empática passaria mais por 'estou atento a você'." - Diana Corso, psicanalista

"Os novos protagonistas das Cidades para pessoas são as calçadas largas e bem pavimentadas e iluminadas, é o transporte coletivo de qualidade e as ciclovias, é o comércio de rua nos bairros, são as praças e os parques e espaços de convivência, é a preservação da paisagem e do patrimônio e, claro, as pessoas. Os moradores têm que ser os novos protagonistas das cidades." - Tiago Holzmann da Silva, Arquiteto e urbanista

"O que viriam a ser cidades globais, expressão popularizada pela pesquisadora [Saskia Sassen]? São os centros de comando da economia mundial. Quanto mais destes centros vier a ter uma cidade, mais global será tal cidade. Quanto mais sedes de empresas transnacionais e organismos internacionais tiver, mais tal cidade será global." - Joel Outtes, Doutor em Geografia Humana

"O organismo parece com uma orquestra; o cérebro é o maestro, organiza as funções dos músicos e percebe destes músicos as comunicações sobre suas atividades. O cérebro é a estrutura, a matéria do sistema nervoso; serve de base para os pensamentos, sentimentos, emoções e reações, e se conecta a todos os demais sistemas, tecidos e órgãos." - Helena Barros, doutora em Neuropsicofarmacologia

"O discurso utópico, ao contrário, é frequentemente sedutor e baseia-se na possibilidade de uma sociedade perfeita, que constitui um ideal irrealizável. Mais coerente com a experiência civilizatória é o reconhecimento do potencial de barbárie que está instalado em toda a história humana." - Fabio Caprio Leite de Castro, Doutor em Filosofia

"Para retratar um mundo de mentalidade tão arcaica que o mágico por vezes se confunde com o real, [Valter Hugo] Mãe faz uso de uma linguagem elíptica que olha para o mundo de viés – e que aqui parece ter alcançado uma relação mais firme com a poesia do que no livro anterior" - Carlos André Moreira, Mestre em Letras

"A Wikipédia construiu não só uma nova forma de produzir conhecimento em meios digitais – colaborativa, descentralizada, horizontal, a partir de uma ampla base de usuários engajados na constituição do que lhes é comum. A Wikipédia ajudou a forjar uma cultura na qual a adjetivação do funcionamento da plataforma emergiu à condição de modus operandi de todo um ecossistema na web. E isso não é pouco. O legado de Jimmy Wales é, sem dúvida, dos mais relevantes." - Daniel Bittencourt, Mestre em Comunicação