Voltar para Notícias

Ai Weiwei é o convidado do Roda Viva

As ideias que movem o mundo em um único lugar. Cadastre-se e receba mensalmente o melhor do Fronteiras

Cadastrado com sucesso
Ai Weiwei no Roda Viva
Ai Weiwei no Roda Viva

HOJE (12), no Roda Viva: Ai Weiwei. O artista chinês, que esteve no Fronteiras do Pensamento 2018, é o entrevistado do programa.

O Roda Viva com Ai Weiwei será transmitido às 22h15, na TV Cultura.

Crítico declarado de governos autoritários, Weiwei é conhecido por colocar sua arte a serviço da liberdade de expressão e em defesa daqueles que não têm voz.

Crítico ferrenho de governos autoritários, o artista defende a arte como forma de liberdade de expressão.

Weiwei também é fotógrafo e documentarista e lançou Human Flow, documentário que trata da crise dos refugiados e mostra como esse fenômeno se espalha por vários continentes.

Entrevistadores

Compõem a bancada de entrevistadores Robinson Borges, editor de Cultura do jornal Valor Econômico; Jochen Volz, diretor-geral da Pinacoteca de São Paulo; Ivan Finotti, repórter do jornal Folha de S.Paulo; Márcia Fortes, jornalista e empresária cultural.

Ainda, Fernando Schuler, curador do Fronteiras do Pensamento, e Marcello Dantas, um dos mais importantes curadores de arte do Brasil. Dantas foi o mediador da conferência de Weiwei no Fronteiras.



Assista também: Ai Weiwei no Fronteiras do Pensamento 2018

A palavra “violência” é uma constante na vida dos brasileiros. Mas, o que queremos dizer quando a utilizamos? Existem diversos “tipos” de violência e algumas parecem nos assustar mais do que outras. Contudo, qual seria o mais danoso, o pior tipo de violência? 

Ai Weiwei, artista e ativista chinês, dá sua opinião sobre o tema. Weiwei dedica a vida à luta pela liberdade de expressão e pelos direitos humanos e nos esclarece o que aprendeu de sua trajetória.


libreto ai weiwei

Clique aqui para baixar o PDF gratuito do libreto sobre Weiwei. O libreto inclui breve biografia, links indicados e informações de destaque sobre o conferencista.

Veja também: Ai Weiwei responde: "Sabemos muito e agimos pouco