Voltar para Notícias

Contra mim: a obra mais pessoal de Valter Hugo Mãe

As ideias que movem o mundo em um único lugar. Cadastre-se e receba mensalmente o melhor do Fronteiras

Cadastrado com sucesso
Valter Hugo Mãe em passagem pelo Fronteiras do Pensamento
Valter Hugo Mãe em passagem pelo Fronteiras do Pensamento

Em Contra mim (Biblioteca Azul), lançado no Brasil em dezembro de 2020, Valter Hugo Mãe presenteia seus leitores com seu livro mais pessoal já publicado, tecido em meio ao isolamento forçado que o condenou à introspeção. O resultado é uma espécie de biografia composta por retalhos de sua infância e adolescência.

O autor, que completa 50 anos em 2021, conta como começou a se interessar pelo universo das palavras e da poesia e recorda alguns dos episódios mais marcantes de seus primeiros anos de vida. 

A capa de CONTRA MIM leva assinatura da artista brasileira Adriana Varejão e o prefácio é de Nélida Piñon. Confira a sinopse de a seguir e garanta o seu exemplar da obra nas melhores livrarias do país:

“Este livro é uma criança às páginas. Um escritor em menino.”. É a descrição mais desconstruída e elementar possível. Esta espécie de biografia expõe, na primeira pessoa, a história da própria infância, os dramas juvenis, a morte prematura do irmão (o “menino horizontal”), que não chegou a conhecer, e a descoberta da rotunda existente entre as pernas das meninas. Menciona como foi prova viva de um milagre, imensamente falado na terra onde vivia, confessa o medo de louva-a-deus e o desejo convicto e inocente de “ir a Angola e ficar negro”. 


>> Relembre a poética de Valter Hugo Mãe em sua passagem pelo Fronteiras do Pensamento: