Voltar para Notícias

Envie sua Pergunta Braskem para Robert Darnton

As ideias que movem o mundo em um único lugar. Cadastre-se e receba mensalmente o melhor do Fronteiras

Cadastrado com sucesso

Nascido em Nova York, Robert Darnton é pioneiro nos estudos sobre a história do livro e um dos mais renomados especialistas em história da França do século XVIII. Graduado pela Universidade de Harvard, com mestrado e doutorado pela Universidade de Oxford, lecionou em Princeton de 1968 a 2007, ano em que veio, pela primeira vez, ao Fronteiras do Pensamento Porto Alegre.

A conferência de Darnton na época, intitulada Voltaire, Rousseau e nós, defendia que a recuperação da filosofia das luzes diz respeito ao mundo contemporâneo, aos nossos dias, em que voltam à cena grandes debates sobre radicalismos, extremismos e liberdade de expressão.

Robert Darnton volta ao palco do Fronteiras do Pensamento Porto Alegre no dia 29 de agosto. Envie sua pergunta para o historiador de qualquer parte do Brasil, até a manhã da segunda (29), através do e-mail digital@fronteiras.com. A questão selecionada será proposta ao convidado no palco do Fronteiras. A resposta será divulgada no dia 30, aqui no fronteiras.com e em nossas mídias digitais.

Nestes 10 anos que passaram desde a primeira vinda do historiador ao Fronteiras muito mudou. Porém, não mudou a mensagem inicial do historiador: a importância da filosofia das luzes ao presente. Foi com base nisso que Darnton direcionou sua própria trajetória profissional ao longo deste tempo.

Fervoroso defensor das liberdades civis e da democratização do conhecimento, Darnton viu a internet como a ferramenta que poderia expandir o livre acesso ao conhecimento, que poderia transformar o conceito iluminista de República das Letras na República do Aprendizado: "a democratização do conhecimento está na ponta de nossos dedos. Podemos tornar real o ideal iluminista."

Esta jornada iniciou ainda em 2007, quando Robert Darnton assumiu como diretor da Biblioteca de Harvard e tornou-se o responsável por disponibilizar pela internet o conjunto da produção intelectual da universidade, considerado um dos maiores e mais importantes do mundo.

Em seu primeiro dia de trabalho como diretor da Biblioteca, um grande desafio surgiu à sua frente: a poderosa Google queria digitalizar o acervo da Universidade. A Google, que na época já enfrentava processos de editoras por violar direitos autorais, estava negociando com os autores, com o objetivo de se tornar uma “imensa biblioteca comercial", um “novo tipo de monopólio de conhecimento digitalizado", declarou Darton, que se posicionou publicamente contra o projeto. Após a polêmica judicial que se travou, a iniciativa da Google foi extinta.

Em contrapartida, antes disso, Darnton já fazia parte de um ambicioso projeto que reuniria, em um único portal, acervos de bibliotecas, museus e arquivos: daí sim, tudo de graça e para todos. Hoje, a Digital Public Library of America (DPLA) soma mais de 10 milhões de conteúdos e é um exemplo do que o historiador defende: a cultura digital não apenas não é um inimigo da leitura ou da cultura, mas como é a principal amiga. As duas questões que cercam esta nova era, afirma Darnton, são como tornar estes projetos ainda mais democráticos e como evitar o excesso de comercialização das obras, o que limitaria o acesso em vez de expandi-lo.

O perigo para a democratização do conhecimento não é apenas o interesse de empresas, mas também outras formas de restrição e de controle, como defende o historiador em entrevista sobre sua mais recente obra, Censores em ação: “A história pode aguçar nossa sensibilidade para os perigos. Na era da internet, o governo tem uma capacidade enorme de vigiar as nossas menores ações. O perigo da censura é muito maior agora."

Enquanto o mundo contemporâneo se volta à discussão da liberdade de expressão, tentando definir o que é proibido ou permitido, Darnton nos ensina que a censura é tão antiga quanto os próprios livros. O historiador demonstra que as tentativas de limitar o acesso ao conhecimento podem vir – e virão – de diversos lugares – e que a única forma de prosseguir na luta pela democratização do conhecimento é através da própria busca pelo conhecimento.

Acesse o libreto preparatório para a conferência do historiador norte-americano Robert Darnton, no Fronteiras do Pensamento Porto Alegre. O conteúdo do libreto inclui breve biografia, indicação de livros, ideias do Diretor da Biblioteca de Harvard, links para entrevistas e vídeos, bem como o trecho da mais recente obra de Darnton, Censores em ação - como os estados influenciaram a literatura.