Voltar para Notícias

Fronteiras Educação fala sobre Ciências com jovens de escolas públicas

As ideias que movem o mundo em um único lugar. Cadastre-se e receba mensalmente o melhor do Fronteiras

Cadastrado com sucesso

Na última edição de 2014 do Fronteiras Educação, os jovens de escolas públicas que participaram do evento, ocorrido no Salão de Atos da UFRGS nesta terça (2/12), debateram o tema Ciências com a professora de História Joana Bosak, o escritor Fabrício Carpinejar e o físico Emerson Luna.

De Ícaro a Dédalos, Joana Bosak contou sobre o sonho do ser humano de voar em direção ao desconhecido desde os tempos mais antigos. Para ela, a ciência faz parte da nossa história. Por isso, a professora abordou o movimento de popularização da ciência, com livros e filmes que explicam as teorias mais complexas de formas mais lúdicas para quem ainda não conhece o tema com profundidade. "Os precursores desse movimento foram Carl Sagan e Stephen Hawking", disse. Sagan foi um astrobiólogo e cosmólogo que escreveu mais de 600 publicações científicas; Hawking é um físico teórico e cosmólogo reconhecido como um dos cientistas mais consagrados da atualidade.

Bosak ainda abordou a importância da matemática em nossas vidas. "O que acontece quando os cientistas não conseguem observar um fenômeno que pretendem estudar? É o caso das teorias atuais. São complexas, difíceis, baseadas em cálculos e raciocínios abstratos e que, em muitos casos, ainda não foram comprovadas", apontou.

Emerson Luna contou sobre sua experiência como físico e falou de sua decisão de cursar esta graduação. "Por mais difícil que a física pareça, a meta dos cientistas sempre deve ser se divertir e gostar de fazer estas buscas pelo desconhecido", explicou aos jovens. O pesquisador ainda contou sobre a importância do Cern, uma organização europeia que faz as mais importantes pesquisas nucleares do mundo; e sobre as teorias mais recentes, como a Teoria das Supercordas, que diz que a mínima partícula encontrada nas camadas subatômicas forma fios energéticos que, ao vibrarem, determinam como será a natureza do núcleo atômico a que estão conectados.

A última edição do Diálogos com a Geração Z tem o patrocínio da Petrobras e a parceria cultural da UFRGS e da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.