Voltar para Notícias

Garry Kasparov: o preço da inação na Ucrânia

As ideias que movem o mundo em um único lugar. Cadastre-se e receba mensalmente o melhor do Fronteiras

Cadastrado com sucesso

"Obama e a Europa escolheram não confrontar Vladimir Putin – agora, estamos vendo o terrível preço disso." Em artigo para a Time (18/07), o russo Garry Kasparov afirma que é simplista culpar Putin pela queda do avião da Malaysia Airlines. A situação, de acordo com Kasparov, é complexa e as mortes são mais consequência da inação ocidental do que da ação do presidente russo. Leia abaixo a tradução da equipe Fronteiras:

Garry Kasparov: o preço da inação na Ucrânia | Culpar Putin por invadir a Ucrânia – por anexar Crimeia, por dar avançados mísseis terra-ar para os separatistas – é como culpar o escorpião proverbial por picar o sapo. É esperado. É sua natureza. Em vez de se preocupar com como mudar a natureza do escorpião ou, pior, como melhor pacificá-lo, devemos focar em como o mundo civilizado pode contar a criatura perigosa antes que mais inocentes morram.

Portanto, despejemos nossa rede de responsabilidade onde podemos fazer algum bem. Nos voltamos aos líderes do mundo livre que nada fizeram para reforçar a fronteira da Ucrânia mesmo após a Rússia ter anexado Crimeia e ter deixado clara sua ambição de desestabilizar o leste ucraniano. Será interessante ver se os líderes do ocidente e os grupos empresariais que têm trabalhado tanto para bloquear sanções contra a Rússia agora enxergarão outra razão para mudar sua política. Espero que eles ao menos se calem sobre isso até que os restos sejam limpos.

O ocidente é o culpado? Foram eles que apertaram o botão? Não. Eles fingiram que a Ucrânia estava longe demais para afetá-los. Eles esperaram que poderiam ignorar a Ucrânia em segurança em vez de defender a integridade do território de uma nação europeia em ataque. Eles foram paralisados pelo medo e por brigas internas. Eles resistiram às fortes sanções contra a Rússia porque eles se preocuparam com o impacto em suas próprias economias. Protegeram empregos e perderam vidas.

Teria esta tragédia ocorrido se duras sanções contra a Rússia tivessem sido lançadas quando Putin se moveu sobre a Crimeia? Teria acontecido se a OTAN tivesse deixado claro, desde o início, que ela defenderia o domínio ucraniano com armas e conselheiros no solo? Nunca saberemos. Agir requer coragem e pode haver altos custos para atingir os objetivos. Mas, agora, vemos horrorizados que também há altos custos para a inação – e o objetivo não foi alcançado.

Leia o artigo de Garry Kasparov na íntegra – em inglês – no site da Time.