Voltar para Notícias

Justiça: como fazer a coisa certa? Conheça Michael Sandel

As ideias que movem o mundo em um único lugar. Cadastre-se e receba mensalmente o melhor do Fronteiras

Cadastrado com sucesso

"Uma coisa de que o mundo necessita desesperadamente é uma maneira melhor de conduzir nossos debates
políticos. Precisamos redescobrir a arte abandonada da argumentação democrática" - Michael Sandel

Imagine um mundo em que não há certo ou errado a impor: há sabedoria sobre o poder do diálogo e da argumentação. Este universo é a sala de aula de Michael Sandel, filósofo político norte-americano considerado um dos maiores professores do planeta e certamente um dos mais populares.

Reconhecido pela Associação Americana de Ciências Políticas por excelência de carreira no ensino, suas aulas já somaram mais de 15 mil estudantes de todas as partes do globo e discutem dilemas morais e éticos para analisar a justificativa das pessoas sobre suas posições e atitudes.

As aulas de Sandel, baseadas em seu livro Justiça – o que é fazer a coisa certa, traduzido e publicado em vários países, propõem discussões sobre temas como igualdade, democracia e cidadania. O objetivo é discutir dilemas morais e éticos. Dilemas cotidianos são debatidos de forma descontraída e com participação direta dos estudantes.

Sandel defende que a filosofia não é algo distante, mas parte do cotidiano. Ele acredita que a melhor forma de manter a atenção dos jovens nas suas aulas é mostrar que as opiniões deles estão diretamente ligadas às ideias que os filósofos desenvolvem há séculos. Segundo ele, a dificuldade do curso está justamente no fato de que ele ensina o que muitas pessoas já sabem, porém a graduação tradicional funciona retirando essas questões de um ambiente "familiar" e tornando-as "estranhas". Dessa forma, o filósofo explica que o autoconhecimento permite uma nova forma de ver as coisas. O método é elogiado por especialistas, ao permitir a discussão de temas profundos de forma acessível.

Nascido em Minneapolis, o filósofo se mudou na adolescência para Los Angeles. Formou-se na Universidade Brandeis e fez doutorado em Oxford. Professor de Filosofia Política em Harvard desde a década de 1980 e membro da Academia de Artes e Ciências dos Estados Unidos, foi apontado pelo jornal The Guardian como "o mestre das grandes questões da vida".

Seu mais recente livro, O que o dinheiro não compra – os limites morais do mercado (2012), questiona qual o papel do dinheiro e do mercado na nossa sociedade. A obra tem sido tema de conferências pelo mundo e entrevistas nos mais importantes veículos do globo. Devemos permitir que corporações paguem pelo direito de poluir? Permitir que pessoas ganhem dinheiro para testar novos medicamentos? Vender cidadania para imigrantes? Afinal, quais são os limites morais do mercado?

Segundo Michael Sandel, a lógica da compra e da venda tem governado cada vez mais questões da sociedade. Para ele, isso ocorre por nosso medo de nos confrontarmos uns com os outros e de expormos nossos valores morais.

É por nosso silêncio que o mercado escolhe por nós. Assim, é necessária uma profunda e aberta reflexão sobre qual tipo de sociedade queremos construir e quais são os lugares em que a lógica do mercado pode entrar e atuar.

Conheça Michael Sandel
- "O mercado invadiu quase tudo" | O Globo
- "A política não pode ser neutra" | Gazeta do Povo
- "A política é o exercício da capacidade humana de julgamento" | Milênio (vídeo)
- "Não devemos aceitar a imortalidade" | IstoÉ
- Dinheiro, obscuro objeto do desejo | Il Manifesto/IHU