Voltar para Notícias

Indiferença à violência sexual corroerá nossa sociedade, diz vencedor do Nobel da Paz, Denis Mukwege

As ideias que movem o mundo em um único lugar. Cadastre-se e receba mensalmente o melhor do Fronteiras

Cadastrado com sucesso
Murad e Mukwege (Heiko Junge/NTB scanpix via AP)
Murad e Mukwege (Heiko Junge/NTB scanpix via AP)

Denis Mukwege e Nadia Murad receberam o Prêmio Nobel da Paz 2018 no dia 10 de dezembro de 2018.

Ambos foram escolhidos pelo Comitê Nobel por seus esforços para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerra e de conflitos.

O Prêmio direciona o olhar global sobre a questão, mas “só terá real significado se mobilizar as pessoas em direção à mudança da situação das vítimas”, diz Mukwege.

“Este Nobel não fará a violência desaparecer, nem os ataques a mulheres, grávidas, crianças, bebês. Mas, nosso objetivo é que o prêmio abra portas”, defendeu Murad.

Durante a cerimônia, em Oslo, ambos foram aplaudidos de pé. Mukwege e Murad enfatizaram a importância de fazermos mais. “Se há uma guerra que precisa ser recompensada, é a guerra contra a indiferença que está corroendo nossas sociedades”, alertou o médico no evento. “A violência envergonha a humanidade que todos nós compartilhamos.”

Murad implorou para que a comunidade global ajude as centenas de mulheres e meninas que ainda estão em cativeiro pelos jihadistas. Ela reforçou que o mundo precisa proteger estas pessoas e outras comunidades vulneráveis. “As vítimas merecem um abrigo seguro enquanto a justiça é feita”, defendeu, segurando as lágrimas de emoção.

- A África de Denis Mukwege: leia e assista à conferência do médico no Fronteiras do Pensamento

Médico ginecologista, Mukwege já tratou mais de 30 mil mulheres e meninas vítimas de estupro e violência sexual na República Democrática do Congo. Conhecido como "doutor milagre", ele é um crítico feroz do abuso de mulheres durante guerras e descreveu o estupro como uma "arma de destruição em massa".

- Conheça o Congo de Denis Mukwege na matéria especial ao programa Fantástico do dia 30/12

Nadia Murad se tornou uma ativista dos direitos humanos yazidis após sobreviver a três meses de escravidão sexual imposta por integrantes do Estado Islâmico no Iraque. Após conseguir escapar, a jovem, cuja mãe e seis irmãos foram assassinados, luta para que a perseguição ao povo curdo seja reconhecida como genocídio. Em 2016, aos 23 anos, ela foi eleita embaixadora da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Dignidade dos Sobreviventes de Tráfico de Seres Humanos.

Siga nossa página para acompanhar esta discussão:


Assista à cerimônia da entrega do Nobel na íntegra logo abaixo. Se preferir, leia as falas dos convidados em diversas línguas. Selecione a língua de sua preferência e acesse o discurso dos vencedores do Nobel da Paz 2018.

Discurso de Denis Mukwege ao receber o Nobel 2018
Inglês
Norueguês

Francês
Árabe

Discurso de Nadia Murad ao receber o Nobel 2018
Inglês
Norueguês
Francês
Árabe

Assista à cerimônia do Nobel da Paz 2018 na íntegra abaixo ou clique nos links para ser redirecionado e assistir, diretamente, ao discurso escolhido.
(Discurso Murad inicia em 43:16)
(Discurso Mukwege inicia em 1:09:00

Acesse os sites da Fundação Denis Mukwege e de Nadia Murad.