Voltar para Notícias

Pergunta Braskem: Alberto Manguel encerra o ciclo de conferências do Fronteiras do Pensamento

As ideias que movem o mundo em um único lugar. Cadastre-se e receba mensalmente o melhor do Fronteiras

Cadastrado com sucesso

Lemos e escrevemos para entender a experiência antes de tê-la e para ativar nossa própria
experiência, para dizer que essa é a forma como sentimos e entendemos,
para que as gerações futuras possam sabê-lo." - Alberto Manguel

O escritor argentino Alberto Manguel, autor de obras como Uma história da leitura, A biblioteca à noite, No bosque do espelho – Ensaios sobre as palavras e o mundo e A cidade das palavras – As histórias que contamos para saber quem somos, é o próximo conferencista do Fronteiras do Pensamento (Porto Alegre, 03/11; São Paulo, 05/11).

Envie sua pergunta para Alberto Manguel de qualquer lugar do Brasil por meio do e-mail digital@fronteiras.com até quarta-feira (05), às 11h. Na iniciativa Pergunta Braskem, uma questão será selecionada e feita ao convidado no palco do Fronteiras São Paulo. A resposta será divulgada na quinta-feira (06), nos canais digitais do Fronteiras do Pensamento. A Braskem patrocina os conteúdos exclusivos dos canais digitais do Fronteiras. Acompanhe as novidades: Facebook | YouTube | Google Plus | Flickr

A obra de Manguel atingiu reconhecimento internacional com diversas honrarias recebidas, como o título de Oficial da Ordem das Artes e das Letras, do Ministério da Cultura da França, e os Prêmios Grinzane Cavour e Roger Caillois. Quando adolescente, conheceu Jorge Luis Borges em uma livraria de Buenos Aires. Já praticamente cego, Borges o convidou para ler em voz alta para ele. Manguel lia para o escritor duas ou três vezes por semana entre os anos de 1964 e 1968. Uma das versões dessa história pode ser lida em No bosque do espelho. Esta convivência íntima transformou a figura e os livros de Borges em uma forte referência na literatura de Manguel.

No final dos anos 60, Manguel mudou-se para a Europa e trabalhou em diversas editoras na Espanha, França, Itália e Inglaterra. Em 1972, voltou para a Argentina e trabalhou no jornal La Nación. Depois, também viveu no Taiti e atuou na Les Éditions du Pacifique. Em 1982, mudou-se para Toronto, onde adotou a cidadania canadense. Autor de livros de ficção e não ficção, atualmente contribui regularmente para jornais e revistas do mundo inteiro.

Hoje, Alberto Manguel vive no interior da França, sem telefone nem internet. No local, comprou uma antiga casa paroquial em ruínas e a reformou, transformando em residência. No celeiro, ao lado da casa, instalou sua vasta biblioteca, que soma mais de 30 mil exemplares.

Conheça Alberto Manguel e envie sua Pergunta Braskem para o último conferencista do Fronteiras do Pensamento de 2014 (Porto Alegre, 03/11; São Paulo, 05/11):

- Na biblioteca de Manguel | Entrevista à revista Cult
- Piglia faz pergunta a Manguel | Blog Veja meus livros
- Entrelinhas | Entrevista ao programa Entrelinhas da TVCultura