"Internet é um conjunto de 'panelinhas' separadas por culturas"

Postado em jun. de 2022

Sociedade | Internet e Redes Sociais

"Internet é um conjunto de 'panelinhas' separadas por culturas"

O sociólogo e escritor francês Frédéric Martel costuma fugir das perspectivas que enxergam de forma apocalíptica o mundo das redes sociais, destaca o Jornal Folha de S. Paulo, que entrevistou o conferencista da Temporada 2022.


Com palestra agendada para os dias 29 de agosto, em São Paulo, e 31 de agosto, em Porto Alegre, o francês Frédéric Martel chegará em um "um dos raros países que parece ter uma cultura popular nacional forte", como caracterizou o Brasil no prefácio à edição brasileira de Smart, publicada em 2015 por aqui. Conferencista da Temporada 2022 do Fronteiras do Pensamento, marcada pela volta do presencial, conta com a participação do jornalista e sociológo de 54 anos, que acumula uma bibliografia, no mínimo, polêmica, mas acima de tudo, com um olhar apurado para as culturas locais, especilamente diante da influência digital. Desde o seu famoso livro The Pink and the Black, Homosexuals in France since 1968, lançado em 1996, Martel vem colecionando best-sellers.   

Doutor em ciências sociais pela EHESS, França, o jornalista é mestre em ciências sociais, filosofia, ciência política e direito público pelas Universidades de Paris I e II e professor na ZHdK, Suíça. E se tornou um dos escritores franceses mais lidos da atualidade, com os lançamentos de "Mainstream" e "Smart", obras fundamentais para refletir sobre as indústrias criativas e a cultura digital em mais de 50 países. Em 2019, publicou o aclamado no mundo todo No armário do Vaticano, livro mais vendido em 12 países e traduzido para 20 idiomas.

O jornalista Reinaldo José Lopes, que assina a entrevista com Martel publicada na edição de 21 de junho da Folha de S. Paulo, define as obras de Martel com "um formato que mistura pesquisa sociológica de campo e investigação jornalística, com visitas a dezenas de países e entrevistas com centenas de pessoas para tentar montar um mapa global de como as pessoas estão produzindo e consumindo conteúdo." 

A matéria destaca o lado otimista do francês em relação ao futuro da internet. "Na visão dele, o lado positivo das interações online ainda supera consideravelmente o lado negativo. Segundo o pesquisador, o caminho para superar o potencial destrutivo das redes sociais não depende da regulação de conteúdo, mas do que ele chama de 'territorialização da internet'. As plataformas de mídia social precisam agir de forma muito mais responsável de forma local, dentro de cada país, em vez de ficarem encasteladas no Vale do Silício'.

 No prefácio à ediçao brasileira de Smart, Frédéric Martel compartilha sua tese de que o Brasil conseguiu construir uma autêntica soft power, uma influência cultural, que tem o mérito de ser singular e específica. Mas por quanto tempo?, questiona ele. E afirma que "o digital transforma profundamenta a cultura, os conteúdos, os conhecimentos, as identidades. A transição digital duplica os efeitos já consideráveis da globalização, efeitos que se somam. Estamos em meio a uma revolução, talvez de uma mudança civilizacional". 

Na Temporada 2022 do Fronteiras do Pensamento, que começa no mês de agosto, será possível conferir de perto as ideias de Frédéric Martel, que é um dos escritor mais lidos e mais influentes da atualidade no mundo todo. Se você ainda não garantiu o seu ingresso, acesse o site, e aproveite todas as vantagens e atrações nesta volta ao presencial.  

 

Compartilhe


Frédéric Martel

Frédéric Martel

Escritor francês

Um dos escritores mais lidos da atualidade, autor do polêmico "No armário do Vaticano".
Ver Bio completa